Tele-Atendimento:
(62) 3223-3943
E-mail:
contato@simego.org.br
Newsletter
Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro de nossas novidades.

SIMEGO realiza reunião com a SMS de Goiânia 23/07/2020

O Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (SIMEGO) se reuniu com a Secretaria Municipal de Saúde  (SMS) de Goiânia para apresentar a difícil situação em que se encontram os profissionais médicos lotadas nas unidades de saúde geridas pela referida secretaria. A reunião foi realizada na tarde desta quinta-feira (23) via videoconferência. 

 

Entre as principais demandas da categoria podemos destacar: solicitação de melhores condições de trabalho, com disponibilização de todos os recursos humanos e materiais mínimos necessários ao pleno desempenho ético da Medicina, tais como fornecimento de insumos, medicamentos e produtos de saúde de forma contínua e permanente; fornecimento de todos os Equipamentos de Proteção Individual e o adequado treinamento para utilização correta dos mesmos; realização de testes rotineiros para constatação da COVID-19 em todos os servidores lotados na linha de frente do atendimento, e o afastamento daqueles considerados de alto risco de contágio; disponibilização de Segurança em todas as unidades de saúde mantidas pela SMS de Goiânia;  adoção de uma política de valorização dos médicos, bem como pagamento em grau máximo (40%) do adicional de insalubridade aos médicos lotados nas unidades de saúde que prestam assistência aos pacientes acometidos ou suspeitos da COVID-19 e realização de concurso público destinado ao provimento dos diversos cargos de médicos. 

 

A presidente do SIMEGO, Franscine Leão, destacou a necessidade de um canal de comunicação com a gestão. “Estamos buscando uma solução para este grave problema enfrentado pelos profissionais médicos. E para isso, precisamos ser ouvidos pela secretaria. Na reunião de hoje, foi possível pontuar diversas demandas da categoria. A expectativa é que elas possam ser acolhidas pela secretaria e solucionadas para que a assistência da população goianiense não seja prejudicada”, alertou a presidente. 

 

A secretária Municipal de Saúde de Goiânia, Fátima Mrué, assumiu que há falta de medicamentos, mas que são situações pontuais. “Estamos vivenciando uma crise de falta de medicamentos e insumos em todo o país. Contudo, todas as providências possíveis para a rápida reposição são tomadas”, afirmou. 

Sobre a falta de segurança, Fátima destacou que tem buscado soluções junto à Guarda Civil, mas que a falta de efetivo tem se mostrado um fator complicador. Com relação à realização do Concurso a secretária afirmou que sempre esteve nos planos da sua gestão acabar com os contratos precários, mas que a pandemia da Covid-19 suspendeu os trâmites para a realização do Concurso.

 

Segundo a secretária todos os profissionais foram testados e a política da SMS de Goiânia é realizar testagens periódicas. E afirmou ainda que foram realizados inúmeros cursos para treinamento e capacitação dos profissionais.   


O secretário de Finanças do SIMEGO, Alexandre Meneghini, destacou que o médico se sente inseguro e desamparado. “O profissional médico expõe sua vida e de sua família para prestar um atendimento digno para a população. Contudo, tem vivenciado um esgotamento físico e mental muito grande. Agora, além disso, tem que se preocupar com sua integridade física. Não podemos aceitar”, finalizou.  

 

    O SIMEGO levará as respostas da SMS de Goiânia para a categoria.

Compartilhe isso: